RSS Feed

Fifth Saturday. / Quinto Sábado.

Part of the “rain team”.
Parte da “equipe da chuva”.

Para versão em português, leia abaixo.

rain, RAIN, RAIN

At three o clock this morning I woke up with the cracking sound of a thunderstrike. Immediately followed by that grey noice of heavy rain. I  checked the weather forcast and indeed, they predicted rain. Why the #?!x* on a saturday.   The oh so important saturdays in this project.The saturdays when the progress of the construction gets a boost because of the many hands that come to help.  Second thought: “Maybe it stops raining and will it be just a cloudy drizzel  day”. Third thought “It is to late to cancel the students. Few students have cellphones, contact is established via email or facebook.  For shure, early in the morning, some of them will be at  appointed street corners and at entrances of student houses”. “what to do?”. At eight oçlock in the morning it was more or less dry. We give it a try!  I went to the site and Barbara went to pick up the volunteers. By the time the second trip of students arrived it was pouring down again.  “O.K-people”, lets go to my house, have a coffee and go home. We cancel today!  But then something happened. Crazy Maruan, (see the post Adonis)  dancing on a half filled soaked tire: “Oh Franky, you are not gonna rob me from a lovely opportunity to work in the rain!”To my amazement people started to get tools, dirt and tires. And laughing like children playing in pudles  we went on with our work.  We worked hard. We had to, just to stay warm. The director of the school could not believe. Logicaly he had cancelled the planned barbecue for today.  But seeing us working, he generously donated money to buy  a rich lunch. We went on untill noon. By then the handles of the tools were so slick, that we could not hold them. Trying to lift a shovel full of dirt, the blade simply would turn upside down in my hands. No matter how firm the grip,  spades and sledge hammers had a will of their own.  They acted like covered with soap.  At lunch time we took the shortcut via the cementay to my place. (see the post “zombies”). That afternoon our washing machine and dryer turned non stop. Meanwhile we enjoyed deliciously grilled chickens, cakes and hot chocolate. Since we didn’t make pictures of the day,  I asked everyone who wanted to  make a drawing of the day. See the pictures below. I like to finnish with a word of thanks to everyone who made this a commemorable, funny  day.  THANKS Folks.

chuva, CHUVA, CHUVA

Às 3 da madrugada, acordei com o som retumbante de um trovão.  Imediatamente seguido da música de uma chuvarada cinza e forte. Chequei um sítio de meteorologia, sim, previam chuva. Por que #?!x* logo num sábado? Ao sábado, tão importante para esse projeto. Os sábados, quando o progresso do projeto ganha força com as tantas mãos que vêm ajudar.  Segundo pensamento: “Talvez a chuva pare e será apenas um dia cinzento”. Terceiro pensamento: “Já é tarde para cancelar com os estudantes. Poucos deles têm celulares, o contato é estabelecido pelo e-mail ou pelo facebook. É certo, cedo pela manhã, alguns deles estarão na esquina combinada ou na frente das moradias estudantis”. “O que fazer?” Às 8h da manhã, estava mais ou menos seco. Vamos tentar. Fui para o local da construção e Barbara, buscar os voluntários e as voluntárias desse sábado. Já durante a segunda viagem do dia, caia uma chuva torrencial novamente. “O.K., pessoal, vamos para casa, tomamos um café e a gente dirige vocês de volta, cancelamos por hoje.” Mas, então, algo aconteceu. O maluco Maruan (veja o post ‘Adonis’) dançando em cima de um pneu meio enlameado. “Ó, Frank, tu não vais me roubar a linda oportunidade de trabalhar nessa chuvarada!” Para minha total surpresa, eles começaram a pegar as ferramentas, terra e os pneus. Rindo, como crianças, pulando nas poças d’água, fomos trabalhar. Trabalhamos duro. Tínhamos de, apenas para mantermos o calor. O diretor da escola não podia acreditar. Logicamente, ele havia cancelado o churrasco de hoje, mas vendo a gente trabalhando, generosamente, doou o dinheiro para a gente comprar o almoço. Seguimos até o meio-dia. Então, os cabos das ferramentas estavam tão escorregadios que não conseguíamos mais segurá-los. Tentando levantar uma pá cheia de terra, essa virava de cabeça para baixo rodando nas minhas mãos. Não importava o quão firme segurávamos, pás e marretas ganharam vida própria. Parecia que estavam cobertas por sabão. Na hora do almoço, pegamos o atalho pelo cemitério para voltarmos para minha casa (veja o post Zumbis). Naquela tarde, nossa máquina de lavar roupa e a secadora, enquanto a gente se deliciava com os galetos, tortas e chocolate quente. Como não fizemos fotos (apenas essa acima com celular), pedi a todos que quisessem para fazer um desenho desse dia. Veja as imagens abaixo. Gostaria de terminar com uma palavra de agradecimento a todos e todas que fizeram desse, um dia comemorativo e divertido! VALEU, pessoal!

Clique na imagem, para aumentar.
Click on the image, to see it bigger.

Maruan Guilherme

Marcus Vinicius

Sentir…….
Conectada com a natureza, batizada pela chuva e hiper útil
Deliciosos aromas e sabores
Dividir………..
Conhecimentos e experiência
Alegrias e sonhos
Está é a descrição de uma tarde de sábado perfeita!!! Obrigada por me convidarem para essa enriquecedora e única experiência, a construção de algo tão incrível e o contato com a natureza !!!!
Bárbara Santos Almeida
Antropologia

esfuerzo y el trabajo. Fue un gran día con té y chocolate caliente, compartir libros, historias, comida y muchas risas!!
Gracias a todos por la buena onda!! A medida que pasa el tiempo, vamos viendo el fruto del
Vale.

Hoy no tuvimos el sol con nosotros, en cambio aparecio la lluvia, la tierra pesaba mas al tiempo que las gotas nos mantenian ferscos, en poco tiempo conseguimos llenar algunos neumaticos mientras el viento soplaba. Fue una buena experiencia, una vez mas aportamos a este gran proyecto y lo disfrutamos junto con excelentes personas.
Isnel.
Especialização Energias Renováveis

Tener la capacidad de contribuir al desarrollo sustentable mientras se entrenan otros tipos de habilidades, no tiene explicacion. Hacer parte de la dicotomia naturaleza-hombre mediante la practica al utilizar materiales reciclados, la tierra roja de Foz do Iguacu, la lluvia. Una tarde agradable y chocolate con pan, recopilando las experiencias vividas. Una buena forma de pasar un Sabado saliendo un poco de lo convencional.
Linda Osiris Gonzalez Cardenas
Antropologia

El sentir la tierra en tus manos , la lluvia en tu cara , el frio en tu cuerpo, pero aun asi tener la energia de miles , saber que estas siendo parte de un proyecto unico , el sonreir con cada llanta que llenas de tierra y decir“ya esta lista para montar“ es una experencia enriquisedora , conocer un ser con tanta creatividad ,con un don tan original ,para poder hacer con tan poco como unas llantas y unas cuentas botellas un gran taller , solo puedo decir que fue un placer haber ayudado a montar quizas 2 o 3 llantas porque la lluvia no dio para mas .
Lorena Castellanos,
Ciencia Politica y Sociologia

Se sentir parte da natureza, essa deve ser a melhor expressão para que foi sentida hoje. A sensação da terra por entre os dedos, o suor se misturando entre as gotas de chuva… Bem quem venha mais oportunidades para essa aproximação com a natureza, e o próprio bem estar comigo mesmo.
Leandro Morais
Cinema e Audiovisual

About Frank Koopman casa

Dutch artist. Sculptor. Now, building up an an art atelier, located in Foz do Iguaçu. The whole project is built using reused and recycled materials. The atelier is located on the terrain of the COC Semeador school. Here, in this picture, I am with my daughter carrying araucaria trees as we were helping planting, in a reforestating effort in Urubici/SC. The araucarias are the symbol trees of Paraná. Artista e escultor holandês. Atualmente, constrói um atelier em Foz do Iguaçu. O projeto utiliza materiais reusados e reciclados. O atelier é localizado no terreno do colégio COC Semeador. Nesa foto, estou com a minha filha carregando mudas de araucárias num esforço de reflorestar mata em Urubici/SC. As araucárias são as árvores símbolo da região do Paraná.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: